Família mantinha cão em pele e osso debaixo de chuva ou sol

Debaixo de forte chuva ou de um sol de 30 graus Chicão, que estava só pele e osso, era colocado para fora da casa e deixado ao relento por uma família na Vila Jaguara, na Capital.

A situação revoltou moradores que resolveram denunciar a mulher que mantinha os animais. Um Boletim de Ocorrência foi registrado no 33º D.P. Pirituba.

Um dos episódios aconteceu no dia 26 de janeiro e foi registrado por câmeras de segurança da vizinhança. Neste dia, Chicão já estava doente e cheio de feridas com larvas pelo corpo,

No vídeo, é possível ver Chicão deitado em frente ao portão na esperança de entrar na casa. Ao seu lado estava Spike, outro cão que vive na residência e que também é deixado frequentemente para fora de casa.

Após o episódio uma família resgatou Chicão e o levou para atendimento veterinário. Na clínica foi constatado que ele estava anêmico e com infecções. 

Conforme o laudo apresentado pela veterinária da família que resgatou Chicão, o animal estava com “lesão na região periana/anal, dificuldades de urinar, desidratação e anemia profunda, necessitando de transfusão sanguínea, além de dores fortes abdominais visíveis à palpação”.

Os vizinhos contam que o cachorro chegou à casa em novembro de 2021 em boa saúde, mas a partir dessa data parou de receber cuidados básicos e começou a apresentar problemas de saúde, inclusive lesões causadas por possíveis agressões.

Ainda conforme a vizinhança, no dia 12 de janeiro, a moradora postou em um grupo do facebook do bairro que tinha “resgatado” o animal e alertou que ele estava com a saúde debilitada sem condições de se levantar e não estava mais comendo e bebendo.

Na mesma postagem, ela dizia não ter condições financeiras de levar ao veterinário. Apesar do apelo, os vizinhos perceberam que a versão da moradora não era exatamente a realidade e que o animal vivia em sua casa desde novembro do ano anterior.

Embora ela tenha pedido por ajuda no grupo do Facebook, após um dia da própria postagem, a moradora não socorreu ao animal.

“No decorrer das semanas seguintes, ela não deu satisfação sobre o estado do cão ao grupo e, semanas depois, às 2h03 de 26 de janeiro, ela enxotou o cachorro, conforme flagrou uma câmera da vizinhança”, explicou um morador que não quis se identificar.

Os moradores agora lutam para resgatar o Spike, outro animal que vive na casa da acusada e que, segundo eles, também sofre com a falta de cuidados básicos.

Vídeos gravados pela vizinhança mostram que a moradora deixa Spike do lado de fora da casa sem comida ou água, independente do tempo, chuva ou calor.

Da Redação