• 24/09/2021

Frota pede CPI para investigar facada em Bolsonaro

 Frota pede CPI para investigar facada em Bolsonaro

Divulgação

Nesta segunda-feira (13), o deputado federal Alexandre Frota (PSDB) protocolou o pedido de abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a facada contra Jair Bolsonaro (sem partido), então candidato à presidência em 2018.

Ao site Poder360, Frota afirmou que o agora presidente foi beneficiado eleitoralmente pelo ataque de Adélio Bispo. “Bolsonaro tinha 8 segundos de televisão e passou a ter 24 horas […]. Foi na facada que ele ganhou as eleições”, disse.

O deputado também disse que tomou a decisão de abrir a CPI da Facada após assistir ao documentário “Bolsonaro e Adélio – Uma Facada no Coração do Brasil“, do jornalista Joaquim de Carvalho. “Hoje eu tenho noção do quanto muitas coisas não estão explicadas”, disse. “Tudo leva a crer que o Bolsonaro tinha um problema sério no intestino e ele aproveitou dessa situação, criou esse fato e com isso ele venceu as eleições”.

Frota foi convidado para ingressar no PSL pelo próprio Bolsonaro e foi eleito com pouco mais de 150 mil votos. O deputado foi expulso do partido acusado de infidelidade partidária por criticar Bolsonaro e votar contra a reforma da Previdência no segundo turno. Depois do episódio, ele se filiou ao PSDB.

A facada em Bolsonaro
O então candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, levou uma facada na região do tórax durante ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais, no dia 6 de setembro de 2018. Ele foi retirado por seguranças do local e levado para a Santa Casa de Misericórdia, de acordo com a Polícia Militar.

Ele estava sendo carregado por apoiadores no momento do ataque. O suspeito de ter dado a facada foi identificado pela PM no mesmo dia como Adélio Bispo de Oliveira, que foi preso em flagrante e conduzido para a Delegacia da PF do município. Adélio foi absolvido do crime por ser considerado inimputável, ou seja, incapaz de responder pelos atos que praticou. Por isso, sua pena foi convertida em internação psiquiátrica por tempo indeterminado. Ele cumpre a sentença na Penitenciária Federal de Campo Grande (MS) desde 2018. (com catracalivre.com.br)