• 18/10/2021

SinHoRes não acredita em fechamento de restaurantes com fim do VR

 SinHoRes não acredita em fechamento de restaurantes com fim do VR

Divulgação

Projeções realizadas pela Associação Brasileira de Benefícios ao Trabalhador (ABBT), que reúne empresas como Alelo, Sodexo e Ticket, mostram o impacto que o fim de incentivos fiscais para o benefício do vale-refeição poderia ter para bares e restaurantes que aceitam o famoso VR como forma de pagamento. De acordo com o levantamento da ABBT, fim do incentivo ao VR poderia fechar 100 mil estabelecimentos.

O debate surgiu após o relator da segunda fase da reforma tributária na Câmara, deputado Celso Sabino (PSDB), sugerir em seu parecer o fim da isenção fiscal a empresas que fornecem vale-refeição e alimentação aos trabalhadores.

Para Edson Pinto, presidente do SinHoRes (Sindicato Empresarial de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares) e representante da Fhoresp (Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado de São Paulo), o vouchers virou um “mal necessário” e não acredita no fechamento dos estabelecimentos.

“Se a entidade que representa as empresas de voucher refeição se preocupa tanto com bares e restaurantes, deveria cuidar para que a taxa de desconto das nossas empresas não fosse extorsiva como acontece hoje. Infelizmente, aceitar esses vouchers virou um “mal necessário”. Se e empresa não aceitar perde uma fatia do mercado e se aceitar fica praticamente no prejuízo”, disse.

Ele ainda falou que não acredita que a sugestão de acabar com o incentivo irá ser aprovada em Brasília. “Eu não acredito que esse incentivo fiscal cairá, pois o lobby dessas empresas de voucher é enorme, poderoso mesmo! Mas se cair os trabalhadores terão que continuar se alimentando e o valor será dado em dinheiro ou cartão pré-pago que, aliás, é uma solução que nós defendemos para escapar dessas taxas abusivas”.