Itapevi faz testes de HIV e Sífilis nas UBS

 Itapevi faz testes de HIV e Sífilis nas UBS

Divulgação

A prefeitura de Itapevi começou nesta quarta-feira (1º) a realização de testes rápidos e gratuitos de HIV e sífilis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Ação segue até o dia e segue até o próximo dia 7.

O objetivo é promover a conscientização sobre o diagnóstico precoce da Aids e sífilis, incentivando a população a realizar o exame e se prevenir.

As ações fazem parte da 14ª edição da campanha Fique Sabendo e acontecem de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h, nas UBS e Saúde da Família.

No sábado (4), o atendimento acontece, exclusivamente para testagem, das 8h às 15h nas unidades do Amador Bueno, Cohab, Vitápolis, Suburbano, Pronto-Socorro Central, CAPS AD ((Rua Orestino Santiago Ramos, 1103, Nova Itapevi) e SAE (Serviço de Atendimento Especializado), que está em novo endereço na Rua José Michelotti, 97, na Vila Nova Itapevi.

Simples e Rápido

O exame rápido possui três etapas e demora aproximadamente 30 minutos. Primeiro, é preenchida a ficha de atendimento, em seguida o paciente realiza o teste, por último, a entrega do resultado e o aconselhamento.

Todo processo é mantido em sigilo. Para os casos positivos de HIV, o paciente inicia tratamento gratuito no SAE. Os casos de sífilis são tratados na unidade básica de saúde mais

perto do paciente.

O diagnóstico precoce é muito importante para a qualidade de vida do paciente, já que a demora na detecção pode agravar as doenças, gerando complicações de saúde e aumentando o risco de contágio e de transmissão.

Por isso, a testagem também é uma forma de prevenção. Chamada de prevenção combinada, o conjunto de ações engloba o uso de preservativos nas relações sexuais, a testagem, o diagnóstico e o tratamento.

Embora a campanha Fique Sabendo, aconteça sempre em dezembro, os testes rápidos estão disponíveis na rede municipal de saúde o ano inteiro.

Sífilis

A sífilis é uma das infecções sexualmente transmissíveis (IST) mais comuns globalmente, e o aumento no número de casos aponta para a consolidação de um cenário de epidemia.

O tratamento da doença é feito com uso de antibióticos. Quanto mais rápido for diagnosticada mais fácil é o tratamento.

HIV

O Ministério da Saúde estima que 135 mil pessoas no Brasil convivam com o vírus HIV e não sabem. Por isso o diagnóstico é tão importante.

Caso o primeiro exame dê resultado positivo para HIV, o paciente recebe toda a assistência do serviço de saúde e realiza um segundo exame (esse de sangue) para confirmar o diagnóstico, 30 dias após o primeiro teste.

Confirmado o resultado, os serviços de saúde realizam as ações de assistência e orientação para o tratamento. Todas as pessoas diagnosticadas com HIV recebem tratamento gratuito e sigiloso pelo SUS.

Da Redação