Justiça condena empresário que chamou PMs de “lixo e puta” em Alphaville

A Justiça condenou Ivan Storel, de 49 anos, morador de Alphaville, a pagar R$ 25 mil em indenização por ofensas feitas a um policial militar em maio de 2020. 

Uma viatura de PM foi acionada para atender ocorrência de violência doméstica no condomínio de luxo. A mulher de Storel pediu socorro às autoridades após um dia inteiro de xingamentos por parte do marido na frente da filha.

Ao chegar, os policiais José Edson Ferreira, Daniel Dias do Nascimento e Géssica Marcia de Oliveira Desanti foram tratados de forma humilhante pelo empresário que os chamou de lixos, de filhos da puta, dentre outras palavras de baixo calão.  

Na ação, movida pelo Ministério Público, os promotores viram desacato contra os PMs e a Justiça também entendeu que houve excessos e desrespeito.

Nitidamente bêbado, Ivan Storel ainda pegou o telefone e ligou para o secretário de Relações Institucionais de Barueri, Marinho Trimboli Junior, pedindo que ele fosse até a residência para retirar os policiais.  

“Por favor, vem para cá agora…você é secretário, vem para cá e me ajuda porque esse bosta, esse gordo filho da puta está achando que é o quê (apontando para o policial). Por favor Marinho, vem aqui e me ajuda”. E o empresário seguiu “não pisa na minha calçada, não pisa na minha rua. Eu vou te chutar na cara, filho da puta. Aqui é Alphaville, mano. Aqui é foda-se”. E na leva de humilhações, Ivan Storel ainda afirmou ganhar R$ 300 mil e o PM apenas R$ 1 mil por mês. 

A defesa do empresário diz que houve erro na análise das provas no processo. Ainda cabe recurso.

Da Redação