Prefeito de Osasco descarta candidatura ao governo do estado

 Prefeito de Osasco descarta candidatura ao governo do estado

Caio Henrique

O prefeito de Osasco, Rogério Lins (Podemos), descartou a possibilidade de disputar as eleições deste ano para o governo do estado de São Paulo.

O deputado estadual Arthur do Val era o nome do Podemos para a disputa, mas ele retirou a candidatura após o vazamento de áudios sexistas em que diz que mulheres ucranianas são mais “fáceis porque elas são pobres”.

O nome de Lins era cogitado nos bastidores do Podemos. “Agradeço a menção, mas independente de convite, já reafirmo meu compromisso com a cidade de Osasco. Não abandonarei o barco antes meu último dia do meu mandato, faltam 2 anos e 10 meses e eu ainda tenho muito trabalho pela frente”, disse ao Diário.

Além do prefeito de Osasco, Igor Soares, prefeito de Itapevi, também foi cotado. Igor foi reeleito nas últimas eleições municipais com 98% dos votos e alcançou a marca do prefeito mais bem votado do país em 2020.

Apesar dos nomes que começam a surgir, o da deputada federal e presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, tem sido o mais ‘abraçado’ pelos filiados ao partido.

O próprio Sérgio Moro, pré-candidato a presidente do Brasil, chegou a sugerir Renata na corrida ao Palácio dos Bandeirantes.

“Precisamos de mais mulheres em posições de liderança do país”, escreveu Moro, no Twitter, na terça-feira 8. “Quem sabe no governo de SP?”, publicou o ex-juiz em sua conta no Twitter.

Já na sexta-feira, 11, Renata afirmou que o partido não trata como prioridade ter candidatura própria ao governo de São Paulo para dar palanque à campanha de Moro.

Apesar de não tratar o governo do estado como prioridade, ela também não descartou candidatura e disse que tem avaliado o convite de Moro para que ela se lance na corrida.

“Teremos que ter um candidato, a governador ou a senador, que defenda a candidatura do Sergio, as chapas proporcionais, as prefeituras, nossas pautas. Minha prioridade é ser deputada federal, mas não tenho medo. Essa não é uma decisão minha. Existe um time em São Paulo, isso precisa ser discutido em grupo”, afirmou.

Graciela Zabotto