Lins e metalúrgicos se reúnem para discutir desindustrialização

 Lins e metalúrgicos se reúnem para discutir desindustrialização

foto Luciano Benazzi

Estava agendada para as 16 horas desta segunda-feira, 1º, na prefeitura de Osasco, uma reunião entre representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região com o prefeito Rogério Lins para discutir a desindustrialização no município.

“Vai ser um encontro importante para discutir como combater problemas que já afetam a nossa categoria. A capacidade industrial de Osasco está reduzindo a cada ano, isso é um grande problema porque oferece grandes impactos para a cidade, como a eliminação de postos de trabalho. Por isso é importante reunir esforços para buscar soluções”, destacou o secretário-geral do Sindicato, Gilberto Almazan, presidente eleito para o próximo mandato da entidade.

De acordo com o Sindicato o problema da desindustrialização é nacional e é uma preocupação antiga. “O Brasil precisa ter uma indústria forte para gerar riqueza e fazer girar a economia. Sem ela, nenhum país consegue se desenvolver e gerar empregos de qualidade. Só o setor de comércio/serviços não basta”, explicou Almazan. Até a publicação dessa reportagem não recebemos informação sobre o balanço desse encontro.

Nos últimos anos o município tem mudado seu perfil econômico. A cidade agora tem como principais atividades os setores de comércio e serviços, além da chegada de várias startups como a iFood, Mercado Livre, Dafiti e B2W – empresa de comércio eletrônico que reúne Submarino, Shoptime e Americanas.com. Também está confirmada a chegada da startup colombiana Rappi. Até dezembro do ano passado a cidade negociava a vinda da Pitzi, empresa que trabalha com seguro de celular, mas chegada ainda não foi oficializada pela prefeitura.

Da Redação