Lúcia da Saúde repudia Netflix por filme de Fábio Porchat e Danilo Gentili

 Lúcia da Saúde repudia Netflix por filme de Fábio Porchat e Danilo Gentili

Divulgação

A vereadora Lúcia da Saúde apresentou na Câmara Municipal de Osasco a Moção de Repúdio nº 48/2022 contra a plataformas de streaming Netflix pela exibição do filme ‘Como se tornar o pior aluno da escola’, protagonizados pelos atores Fábio Porchat e Danilo Gentili.

A vereadora Lúcia da Saúde, autora da Moção, criticou o filme e afirmou que nele são “exibidas cenas de forte apologia à pedofilia. Além disso, normaliza a censura destas cenas para os telespectadores com classificação de idade até os 14 anos”.

Conforme matéria da CNN Brasil, o Ministério da Justiça determinou, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor, a remoção do filme das plataformas de streaming. Foram citadas as empresas Netflix, Globoplay, Telecine, Youtube, Apple e Amazon.

O despacho, publicado nesta terça-feira, 15, no Diário Oficial da União, impõe multa de R$ 50 mil caso “a disponibilização, exibição e oferta” do filme não sejam interrompidas em até cinco dias, “tendo em vista a necessária proteção à criança e ao adolescente consumerista”, diz o documento, assinado pela diretora do Departamento de Proteção e de Defesa do Consumidor, Lilian Brandão.

O filme

O longa de 2017 foi acusado de mostrar uma apologia à pedofilia a partir de recorte do filme que circulou nas redes sociais nos últimos dias.

Na sinopse oficial, a história trata de quando dois adolescentes, interpretados pelos atores Bruno Munhoz e Daniel Pimentel, encontram um diário com “dicas” de como se tornar “o pior aluno da escola”. O filme é inspirado em um livro de Danilo Gentili.

A cena que gerou as críticas mostra quando o inspetor, vivido por Porchat, sugere um ato sexual por parte dos garotos.

Graciela Zabotto