Mãe de bebê soterrado ficou só com a cabeça para fora

Em entrevista ao Diário da Região, um vizinho da casa onde um bebê de 4 meses morreu soterrado, em Itapevi, conta as primeiras cenas da tragédia.

Morador do Jardim Ruth há 9 anos, Maciel chegava da igreja com sua esposa, por volta das 21h, do domingo, quando ouviu um estrondo.

Em seguida, uma mulher gritava por socorro na rua. O morro deslizou e atingiu um imóvel com 8 pessoas dentro. Seis correram para a rua e se salvaram. Dois foram atingidos pela lama.

Ao entrar na residência, Maciel viu apenas um cabelo de mulher. O restante do corpo estava debaixo da terra. Ao se aproximar, ela mexeu o braço. Ele começou a cavar e percebeu que ela respirava. Aos pouco liberou o peso da terra molhada sobre o tórax dela e conseguiu livrar o outro braço até que o socorro chegasse.

O companheiro dela, desesperado, tentava segurar outra parte do barranco que ameaçava cair.

Ele sofreu apenas ferimentos leves. Os demais que estavam no local fugiram para a rua. Um bebê de 4 meses, que dormia no quarto, só foi localizado 7h após o deslizamento, sem vida.

A prefeitura interditou diversas casas na rua. Moradores foram levados para hotéis.

Maranhão Gomes