Ministro vai liberar R$50 milhões para mega Feira de Negócios na região

Nesta segunda-feira (30), os 11 municípios que compõem o Cioeste (Consórcio Intermunicipal da Região Oeste da Grande São Paulo) apresentaram uma lista com 10 pedidos ao ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, presente à reunião.

Das solicitações, duas foram destacadas como essenciais, pelos prefeitos, para a retomada econômica do setor. A pandemia do novo coronavírus afetou diretamente o turismo no País.

Dentre os pedidos, o Cioeste pede prioridade no repasse de R$ 50 milhões para a realização da primeira grande Feira de Negócios.

O segundo pedido coloca a região como “candidata” para receber o primeiro escritório da OMT (Organização Mundial do Turismo) no Brasil.

A grande Feira de Negócios, idealizada pelo Cioeste, seria realizada no ano que vem.

Segundo o ministro, o presidente Jair Bolsonaro já havia dado carta branca para atender às reivindicações da região.

Gilson Neto chegou, inclusive, a dizer em tom de brincadeira que R$50 milhões não eram nada e estavam liberados.

Hoje, na região, Osasco e Barueri se destacam como as cidades com intenso turismo de negócios. Barueri concentra sua potência em Alphaville e Osasco possui o 2º maior PIB do estado de São Paulo e o 8º PIB brasileiro com comércio forte e um pool de novas empresas instaladas no município, principalmente no ramo da tecnologia.

Foi explanado ao ministro que, na área de cobertura da Cioeste, também se encontra a única aldeia jesuítica do estado de São Paulo que fica em Carapicuíba.

Em Pirapora do Bom Jesus acontecem as tradicionais romarias e, em Santana de Parnaíba, o Centro Histórico reúne um dos principais casarios do século XVIII com 209 imóveis tombados pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Estado de São Paulo).

Parnaíba, assim como Pirapora, também é conhecida por suas festas religiosas, uma das mais tradicionais é a do Cururuquara, realizada há 133 anos desde a libertação dos escravos.

Já o segundo pedido feito ao ministro do Turismo, sobre a instalação na região da primeira sede da OMT (Organização Mundial de Turismo) no Brasil, deve ser analisado com mais calma. Diversos municípios brasileiros são candidatos.

Da Redação