Norte-americana é oferecida para Vôlei Osasco

 Norte-americana é oferecida para Vôlei Osasco

Divulgação

O caso Tandara continua em aberto. Suspensa a jogadora está impedida de treinar com suas companheiras do Vôlei Osasco no Ginásio Professor José Liberatti. A defesa aguarda o resultado da contraprova do exame antidoping e se articular enquanto aguarda a data do julgamento.

Diante deste cenário o clube busca alternativas. A primeira já está no clube, Tifanny está treinando para fazer a função de Tandara como oposta, até que pelo menos este caso se resolva, ou com o retorno da “Pitbull”, ou com afirmação da suspensão e a vinda de uma nova jogadora.

Dos nomes cotados o de Sheilla ficou apenas no campo da especulação, como afirmou o próprio Luizomar de Moura. A bicampeão olímpica, segundo informações do Blog do Voloch irá deixar as quadras e fará parte da comissão técnica do Minas.

Outro nome especulado, o da queniana Chumba, se vier será para ganhar experiência e não chegaria para assumir a titularidade. Este nome porém também é difícil que se concretize devido á compromissos com a seleção de seu país.

Um novo nome então parece surgir nos bastidores. Segundo apuração do Blog do Voloch a norte-americana Deja McClendon, ex-Minas, teria sido oferecida ao clube por empresários. O clube, porém, não se manifestou sobre esta jogadora.

Na última temporada a atleta jogou na Liga dos Estados Unidos, e também conta com passagens por Itália e Polônia. No Minas, segundo reportagem do Globoesporte.com, ela foi dispensada, no início de 2020, por opção técnica.

Da Redação