22 de junho de 2024 18:42

Incursão em favela resulta na apreensão de quase duas mil porções de drogas
"Operações nas divisas vão continuar", diz coronel Virgolino
Vôlei Osasco apresenta elenco da temporada 2024/2025
Em 4h, polícia e GCM vistoriam 196 pessoas, 71 motos e 25 carros na divisa de Osasco e Carapicuíba
Cotia prevê orçamento de R$ 1,7 bilhão para 2025
Em um mês região ganhará 1° "shopping aberto" semelhante aos da Europa e EUA

22 de junho de 2024 18:42

Incursão em favela resulta na apreensão de quase duas mil porções de drogas
"Operações nas divisas vão continuar", diz coronel Virgolino
Vôlei Osasco apresenta elenco da temporada 2024/2025
Em 4h, polícia e GCM vistoriam 196 pessoas, 71 motos e 25 carros na divisa de Osasco e Carapicuíba
Cotia prevê orçamento de R$ 1,7 bilhão para 2025
Em um mês região ganhará 1° "shopping aberto" semelhante aos da Europa e EUA
Acesso a redes sociais e streamings em escolas estaduais se estende a professora e funcionários

Divulgação

Da redação     -
06 de fevereiro de 2024

Desde segunda-feira (5), o acesso às redes sociais e aplicativos de vídeos está totalmente bloqueado nas redes wi-fi e cabeada das escolas estaduais de São Paulo. O veto atinge plataformas como Facebook, Instagram, TikTok e Netflix.

A Secretaria Estadual da Educação informa que o acesso a esses serviços já era bloqueado para os alunos desde o ano passado. A mudança, agora, é o fato de que a medida também atinge a parte administrativa das escolas.

Veja as plataformas bloqueadas
Redes sociais:

TikTok
Kwai
Facebook
Instagram
X (Twitter)

Vídeos:

Globoplay
Netflix
Amazon Prime Video
HBO Max
Disney+
Apps ligados a games
Roblox
Steam

A Secretaria diz que o objetivo da medida é “otimizar o uso de infraestrutura tecnológica para o desenvolvimento pedagógico dos estudantes”.

Bloqueio para os alunos

O governo paulista anunciou, em março do ano passado, o bloqueio das redes sociais e dos aplicativos de streamings para alunos da rede estadual.

A medida, feita por meio das restrições no uso do wi-fi e da rede cabeada, atingiu cerca de 5.500 escolas.

Na ocasião, a secretaria afirmou que o objetivo do bloqueio era garantir um ambiente “mais adequado ao aprendizado” e evitar o uso inapropriado e excessivo das redes sociais por parte dos estudantes.

Desde 2017, o uso de telefones celulares é permitido nas escolas estaduais de São Paulo.