21 de maio de 2024 10:35

Sindicato pede que Estado fiscalize aumento abusivo de arroz, feijão, leite e óleo
Santana de Parnaíba terá Batalha dos Assadores pela primeira vez
Usuária de droga agride "amigo do crack" com marreta
Bandido condenado a 6 anos é preso em calçada no Portal D'Oeste
Jovem é confundido com bandido durante brincadeira de "polícia e ladrão"
Motoqueiros armados rendem vítimas para roubar aliança

21 de maio de 2024 10:36

Sindicato pede que Estado fiscalize aumento abusivo de arroz, feijão, leite e óleo
Santana de Parnaíba terá Batalha dos Assadores pela primeira vez
Usuária de droga agride "amigo do crack" com marreta
Bandido condenado a 6 anos é preso em calçada no Portal D'Oeste
Jovem é confundido com bandido durante brincadeira de "polícia e ladrão"
Motoqueiros armados rendem vítimas para roubar aliança
Adesão de farmácias ao Sinal Vermelho é baixa

A pessoa vítima de violência pode ir até uma das farmácias cadastradas e mostrar um “X” vermelho na palma da mão, que pode ser feito com caneta ou mesmo batom.

dev    -
17 de setembro de 2020

É baixa a adesão das farmácias de Osasco à campanha Sinal Vermelho para a Violência Doméstica lançada, em junho, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

No início de agosto, Osasco abriu cadastro para as farmácias e drogarias que desejam participar da campanha. Pouco mais de um mês depois, a cidade ainda tem baixa adesão de estabelecimentos participantes.

O cadastro é feito pela ACEO (Associação Comercial e Empresarial de Osasco) e, segundo um representante, somente algumas grandes redes estão participando e não há data para divulgação dos endereços. Campanha é simples.

A pessoa vítima de violência pode ir até uma das farmácias cadastradas e mostrar um “X” vermelho na palma da mão, que pode ser feito com caneta ou mesmo batom.

Com o nome e endereço da vítima em mãos, os atendentes das farmácias e drogarias que aderem à campanha devem ligar, imediatamente, para o 190 e reportar a situação.