14 de julho de 2024 23:12

Mandato coletivo AtivOz busca reeleição com nova formação
Camila Godói se reúne com Márcio França e conquista recurso para Escola do Futuro
Prefeitura Osasco implanta Operação Inverno até setembro
Musical “Os Saltimbancos” se apresenta domingo em Osasco
Fundo Social faz chamamento público para decoração natalina
Libânia Aparecida é pré-candidata a vereadora pelo PSD em Osasco

14 de julho de 2024 23:12

Mandato coletivo AtivOz busca reeleição com nova formação
Camila Godói se reúne com Márcio França e conquista recurso para Escola do Futuro
Prefeitura Osasco implanta Operação Inverno até setembro
Musical “Os Saltimbancos” se apresenta domingo em Osasco
Fundo Social faz chamamento público para decoração natalina
Libânia Aparecida é pré-candidata a vereadora pelo PSD em Osasco
Carapicuíba vai multar em até R$ 10 mil quem furar fila da vacina

(Divulgação)

Da redação     -
20 de maio de 2021

O prefeito Marcos Neves sancionou a Lei n° 3.703/2021, de autoria do vereador professor Ladenilson, que prevê multa de R$ 5.054 para quem cometer fraude à ordem de preferência da vacinação contra a Covid-19 ou outras campanhas de imunização. No caso de reincidência o valor dobra e multa será de R$ 10.108.

O projeto foi aprovado na Câmara Municipal em março deste ano. Segundo o vereador professor Ladenilson, a medida visa impedir que aconteça em Carapicuíba o que já está acontecendo em outras cidades do país, onde há notícias de fraudes na fila de espera pelo imunizante. Os valores arrecadados com as multas serão destinados à Secretaria Municipal da Saúde.

Carapicuíba é a segunda cidade da região a aprovar multa para quem desrespeitar a ordem de prioridade na campanha. Em Itapevi o prefeito Igor Soares (Podemos) já sancionou a Lei 2.833/2021, que determina multa para que furar fila. Serão penalizados o funcionário que aplicar a vacina e o munícipe que recebeu a dose.

Em Itapevi, caso seja comprovada a infração praticada por agente público será aplicada multa de 500 UFMIs (Unidades Fiscais do Município), o equivalente a R$1.025. Caso fique comprovada a infração da pessoa imunizada ou seu representante legal será aplicada multa no valor de 1.000 UFMIs, ou seja, R$2.050,00. O projeto de lei prevê que se o imunizado for um agente público, a multa será de 2.000 UFMIs, o que chegaria a R$4.100,00.