14 de julho de 2024 23:56

Mandato coletivo AtivOz busca reeleição com nova formação
Camila Godói se reúne com Márcio França e conquista recurso para Escola do Futuro
Prefeitura Osasco implanta Operação Inverno até setembro
Musical “Os Saltimbancos” se apresenta domingo em Osasco
Fundo Social faz chamamento público para decoração natalina
Libânia Aparecida é pré-candidata a vereadora pelo PSD em Osasco

14 de julho de 2024 23:56

Mandato coletivo AtivOz busca reeleição com nova formação
Camila Godói se reúne com Márcio França e conquista recurso para Escola do Futuro
Prefeitura Osasco implanta Operação Inverno até setembro
Musical “Os Saltimbancos” se apresenta domingo em Osasco
Fundo Social faz chamamento público para decoração natalina
Libânia Aparecida é pré-candidata a vereadora pelo PSD em Osasco
Comunidade terapêutica onde homem morreu espancado tinha licença da prefeitura

Divulgação

Da redação     -
11 de julho de 2024

Nesta quinta-feira (10) a prefeitura de Cotia informou que a Comunidade Terapeutica Efatá tem licença sanitária para atuar no atendimento a dependentes químicos.

Em nota enviada à imprensa, a prefeitura explica que, em 2023, foi aprovado o projeto arquitetônico (LTA) e concedida Licença Sanitária Inicial para a razão social Terezinha de Cássia de Souza Lopes da Conceição, nome fantasia Comunidade Terapêutica EFATA.

Na época, a equipe técnica visitou o local, há um ano, ainda sem residentes e constatou que havia condições sanitárias de funcionamento.

Ontem, a prefeitura havia dito que a clínica era clandestina. Em decorrência da morte de um interno, ontem, a comunidade terapêutica foi interditada e a Licença Sanitária cancelada.

Na última segunda-feira (8), Jarmo Celestino de Santana, paciente da Comunidade Terapêutica Efatá, morreu aos 55 anos, após passar por sessão de tortura e espancamentos dentro da instituição.

Um vídeo, que circulou nas redes sociais, mostra Jarmo amarrado com as mãos para trás numa cadeira, enquanto quatro funcionários debocham da situação.

Após a sessão de tortura, Jarmo foi levado a um posto de saúde em Vargem Grande Paulista, um município vizinho, ainda com vida. Ele tinha uma série de lesões pelo corpo e pouco tempo depois teve sua morte constatada pelos médicos.

A Polícia Civil afirma que tanto o áudio como o vídeo foram gravados pelo funcionário Matheus de Camargo Pinto, de 24 anos. Em depoimento, o jovem confessou as agressões, alegou que “fez uso da força para conter o paciente agitado” e confirmou ser o autor do vídeo.

Matheus foi preso em flagrante na segunda-feira e, nesta terça (9), após passar por audiência de custódia, sua prisão em flagrante foi convertida para preventiva. Ele é investigado ao lado dos outros funcionários que aparecem nas imagens pelo possível crime de tortura.