27 de maio de 2024 22:11

Café Sampa celebra Dia do Hambúrguer com 50% de desconto nos combos
PRTB oficializa Pablo Marçal pré-candidato a prefeito de São Paulo
Defesa Civil de Jandira e GCM chegam ao Rio Grande do Sul
Moradora denuncia vazamento de água em Carapicuíba
Trio rouba adega durante madrugada em Carapicuíba; veja vídeo
Vendedores ambulantes ganham espaços fixos na Fazendinha

27 de maio de 2024 22:11

Café Sampa celebra Dia do Hambúrguer com 50% de desconto nos combos
PRTB oficializa Pablo Marçal pré-candidato a prefeito de São Paulo
Defesa Civil de Jandira e GCM chegam ao Rio Grande do Sul
Moradora denuncia vazamento de água em Carapicuíba
Trio rouba adega durante madrugada em Carapicuíba; veja vídeo
Vendedores ambulantes ganham espaços fixos na Fazendinha
Debate sobre Bíblia na Câmara faz AtivOz sugerir símbolo dos orixás

Divulgação

Graciela Zabotto    -
08 de abril de 2024

A vereadora Juliana da AtivOz (Psol) propôs a inclusão dos símbolos do candomblé, dentre eles Exu, na Câmara Municipal de Osasco.

Fala aconteceu em sessão ordinária de quinta-feira (4) durante de votação de uma moção de repúdio, apresentada pelo vereador Délbio Teruel (União Brasil), contra o advogado carioca Eduardo Banks dos Santos Pinheiro que questionou a presença da Bíblia no plenário.

Eduardo Pinheiro solicitou ao Procurador Geral de Justiça do Estado de São Paulo a proposta de Ação de Inconstitucionalidade contra o art. 129, parágrafo único, do Regimento Interno da Câmara Municipal de Osasco.

Na prática, o advogado questiona a presença da Bíblia aberta e exposta no plenário da Casa, ao lado da Mesa Diretora, e pede que a expressão “Sob a proteção de Deus” não seja mais utilizada no início dos trabalhos legislativos.

“Acho interessante essa iniciativa do Eduardo. Acho muito válida. Acho que a gente tem que discutir isso sim, mas com o olhar do estado laico. E eu sugiro, inclusive, que a gente vote a inclusão de outros símbolos como o do candomblé, por exemplo, em nossa Casa. A gente pode incluir aqui Exu. Acho que seria a melhor solução, a gente não exclui a Bíblia, mas inclui aqui os símbolos dos orixás”, argumentou Juliana da AtivOz na tribuna.

A moção de repúdio contra Eduardo Banks dos Santos Pinheiro foi aprovada pela maioria dos vereadores.