30 de maio de 2024 15:24

Morador denuncia cães abandonados em Carapicuíba
Homem é flagrado tentando furtar carro; veja vídeo
Asfalto cede e caminhão de lixo fica preso em buraco
Câmara flagra homem estourando cadeado de casa em Carapicuíba; veja vídeo
Inter entra na Arena Barueri com uniforme 'sujo de lama' e lança Marcas da Enchente
PM prende dois homens após disparos contra casa em Itapevi

30 de maio de 2024 15:24

Morador denuncia cães abandonados em Carapicuíba
Homem é flagrado tentando furtar carro; veja vídeo
Asfalto cede e caminhão de lixo fica preso em buraco
Câmara flagra homem estourando cadeado de casa em Carapicuíba; veja vídeo
Inter entra na Arena Barueri com uniforme 'sujo de lama' e lança Marcas da Enchente
PM prende dois homens após disparos contra casa em Itapevi
Em 100 dias, PM faz 50 operações "Amanhecer, Entardecer e Anoitecer em Oz"

Divulgação

Da redação     -
24 de abril de 2024

Em entrevista ao Diário da Região, o major Eduardo Mosna, subcomandante do 14° Batalhão da PM, disse que a Corporação tem registrado queda significativa na criminalidade entre janeiro e a primeira quinzena de abril.

Neste período, a Polícia Militar instituiu na cidade a chamada operação Dejem que é dividida em três turnos, criando assim o “Amanhecer em Oz”; “Entardecer em Oz” e “Anoitecer em Oz”. São policiais de folga escalados para atuar em pontos críticos do município.

Receptação

Mosna disse que as maiores quedas foram registradas em casos de receptação. Em janeiro, a Secretaria da Segurança Pública registrava cerca de 30 a 40 ocorrências de receptação por mês. Já na primeira quinzena de abril, esse número foi reduzido para apenas 8. A projeção até o final do mês é de que a queda seja de 50% com apenas 16 registros.

Lesão corporal

Outro crime que apresentou queda significativa foi a lesão corporal. No início do ano, Oz registrava cerca de 25 ocorrências por mês. Nas duas primeiras semanas de abril apenas um caso foi registrado. Essa queda de 96% demonstra a efetividade da Operação Dejem no combate à violência nas ruas da cidade. Mosna explicou que essa lesão corporal é aquela registrada nas ruas, pancadões, bailes funks e não dentro dos lares.