22 de junho de 2024 18:36

Incursão em favela resulta na apreensão de quase duas mil porções de drogas
"Operações nas divisas vão continuar", diz coronel Virgolino
Vôlei Osasco apresenta elenco da temporada 2024/2025
Em 4h, polícia e GCM vistoriam 196 pessoas, 71 motos e 25 carros na divisa de Osasco e Carapicuíba
Cotia prevê orçamento de R$ 1,7 bilhão para 2025
Em um mês região ganhará 1° "shopping aberto" semelhante aos da Europa e EUA

22 de junho de 2024 18:36

Incursão em favela resulta na apreensão de quase duas mil porções de drogas
"Operações nas divisas vão continuar", diz coronel Virgolino
Vôlei Osasco apresenta elenco da temporada 2024/2025
Em 4h, polícia e GCM vistoriam 196 pessoas, 71 motos e 25 carros na divisa de Osasco e Carapicuíba
Cotia prevê orçamento de R$ 1,7 bilhão para 2025
Em um mês região ganhará 1° "shopping aberto" semelhante aos da Europa e EUA
Grito de guerra entoado pelos sem teto gera temor na vizinhança; veja vídeo
Da redação     -
21 de janeiro de 2024

Sob gritos de “aqui tem um bando de loucos, loucos por moradia, aquele que acha que é pouco, não conhece a noite fria”, cerca de 600 pessoas ocuparam um terreno na rua Luiz Guilherme de Carvalho, próximo ao número 10, no sábado (20), na Vila Menck, Zona Norte de Osasco.

Todos são integrantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto). O vereador Emerson de Osasco acompanhou a invasão. Ele é amigo de Guilherme Boulos, líder político dos sem teto.

Os invasores chegaram em dez ônibus (maioria não mora em Osasco), por volta das duas horas da madrugada e assim que a Polícia Militar cercou a área os sem teto ecoaram o “grito de guerra” madrugada a dentro.

A vizinhança ficou com medo. Muitos moradores confessaram temer confronto entre os sem teto e a Polícia Militar. Havia o receio de estarem armados e reagirem à desocupação. A PM apreendeu cinco facões com os sem teto.

Por volta das 15h do sábado, a área de propriedade privada já estava liberada. Ninguém ficou ferido. A PM precisou usar gás de pimenta para dispersar a aglomeração. Não foi necessário uso da força.

Ação conjunta da Polícia Militar, prefeitura e Guarda Municipal impediu que o assentamento fosse criado, já que a área tem dono e não se enquadra no artigo da Constituição que fala sobre “uso social da terra”.

O proprietário do terreno abriu boletim de ocorrência no plantão do 5° DP de Osasco. O caso será investigado.