29 de fevereiro de 2024 19:02

Juiz solta ladrão que apanhou da vítima após tentativa de roubo de moto no km 39
Osasco registra mais de 305 mil faltosos em consultas médicas
Alunos de Osasco lançam livro para despertar interesse de jovens a empreender
Prefeitura de Osasco entrega reforma do CREAS Sul
Parque Chico Mendes terá aula aberta sobre crise climática
Em Brasília Camila Godoi busca recursos para saúde de Itapevi

29 de fevereiro de 2024 19:02

Juiz solta ladrão que apanhou da vítima após tentativa de roubo de moto no km 39
Osasco registra mais de 305 mil faltosos em consultas médicas
Alunos de Osasco lançam livro para despertar interesse de jovens a empreender
Prefeitura de Osasco entrega reforma do CREAS Sul
Parque Chico Mendes terá aula aberta sobre crise climática
Em Brasília Camila Godoi busca recursos para saúde de Itapevi
Justiça aceita denúncia contra acusados de roubar pais de Bruna Biancardi em Cotia
Da redação     -
29 de janeiro de 2024

O Tribunal de Justiça de São Paulo aceitou, na sexta-feira (19), a denúncia do Ministério Público contra os acusados de invadirem e roubarem a casa dos pais da influenciadora Bruna Biancardi.

Segundo a Polícia Civil, em novembro de 2023, três suspeitos entraram na casa dos pais da blogueira durante uma falta de energia no condomínio em que moram em Cotia.

Os suspeitos amarraram os pais de Bruna e colocaram eles em um quarto. Como não encontraram dinheiro, levaram bolsas, joias e relógios. A ação durou cerca de 25 minutos.

Um dos suspeitos identificados, Eduardo Sangfredo Vasconcelos, de 19 anos, é vizinho da família e foi preso em flagrante.

O outro é Pedro Henrique dos Santos Vasconcelos, de 18 anos, que teve a prisão preventiva decretada, mas segue foragido. O terceiro suspeito ainda não foi identificado.

A denúncia do Ministério Público de São Paulo foi apresentada na sexta-feira (19). A juíza Andressa Martins Bejarano aceitou e decidiu pela manutenção da prisão de Eduardo.

“A gravidade dos fatos narrados e os elementos constantes no feito reclamam a manutenção da segregação cautelar para assegurar a aplicação da lei penal e para fins de garantir a ordem pública, daí por manter a prisão preventiva decretada”, diz a juíza na decisão.