24 de maio de 2024 16:08

Projeto que substitui sinais sonoros nas escolas é aprovado em Osasco
Cemitério dos Girassóis será reformado e vai ganhar 4 mil jazigos
Caminhão baú sobe em pilastra de concreto na Raposo Tavares
Ladrão coloca cadeado em moto roubada para não ser furtado
Novo golpe? Bandidos batem em traseira de moto para render vítima
Governo aprova instalar Instituto Federal em prédio da Unifesp no Jardim das Flores

24 de maio de 2024 16:08

Projeto que substitui sinais sonoros nas escolas é aprovado em Osasco
Cemitério dos Girassóis será reformado e vai ganhar 4 mil jazigos
Caminhão baú sobe em pilastra de concreto na Raposo Tavares
Ladrão coloca cadeado em moto roubada para não ser furtado
Novo golpe? Bandidos batem em traseira de moto para render vítima
Governo aprova instalar Instituto Federal em prédio da Unifesp no Jardim das Flores
Região registra 13 mortes por dengue e ultrapassa 18 mil casos

Divulgação

Da redação     -
10 de maio de 2024

Dados do Governo do Estado apontam que nove cidades da região somam 13 mortes por dengue. Levantamento é referente ao dia 1º de janeiro deste ano até esta sexta-feira (10 de maio).

Osasco é o município mais afetado, com sete mortes. Em seguida aparecem Cotia e Santana de Parnaíba com duas mortes em cada cidade. Barueri e Itapevi registraram um óbito por dengue cada uma.

O número de casos confirmados de dengue em nove cidades da região chegou a 18 mil. Osasco lidera os registros, com 8.011 casos. Em seguida estão Cotia, com 3.124, Santana de Parnaíba, com 2.873; Carapicuíba, com 2.237, Barueri, com 913; Itapevi, com 352; Vargem Grande Paulista, com 314, Pirapora do Bom Jesus, com 93 e Jandira, com 84 casos confirmados.

Essas cidades também somam 10.051 casos em investigação. São 2.090 em Osasco, 597 em Cotia, 833 em Santana de Parnaíba, 2.981 em Barueri, 1.823 em Carapicuíba, 774 em Itapevi, 339 em Jandira, 544 em Vargem Grande Paulista e 70 em Pirapora do Bom Jesus.

Para auxiliar os municípios na luta contra a dengue, a Defesa Civil está disponibilizando apoio técnico e logístico, incluindo o envolvimento das Forças Armadas em atividades de campo. Além disso, uma campanha de conscientização intitulada “A água mais mortal pode estar no seu quintal” está sendo distribuída nas escolas públicas e particulares do estado, visando educar a população sobre a importância de eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti em suas residências.

A situação exige a colaboração de todos os setores da sociedade, desde as autoridades públicas até os cidadãos, na adoção de medidas preventivas e na eliminação dos focos de reprodução do mosquito, a fim de conter a propagação da dengue e evitar mais mortes pela doença.