29 de fevereiro de 2024 17:55

Juiz solta ladrão que apanhou da vítima após tentativa de roubo de moto no km 39
Osasco registra mais de 305 mil faltosos em consultas médicas
Alunos de Osasco lançam livro para despertar interesse de jovens a empreender
Prefeitura de Osasco entrega reforma do CREAS Sul
Parque Chico Mendes terá aula aberta sobre crise climática
Em Brasília Camila Godoi busca recursos para saúde de Itapevi

29 de fevereiro de 2024 17:55

Juiz solta ladrão que apanhou da vítima após tentativa de roubo de moto no km 39
Osasco registra mais de 305 mil faltosos em consultas médicas
Alunos de Osasco lançam livro para despertar interesse de jovens a empreender
Prefeitura de Osasco entrega reforma do CREAS Sul
Parque Chico Mendes terá aula aberta sobre crise climática
Em Brasília Camila Godoi busca recursos para saúde de Itapevi
Segurança da CPTM espanca enfermeira até a morte em Barueri

Divulgação

Maranhão Gomes     -
30 de janeiro de 2024

A equipe de investigadores da delegada titular do 1° DP de Barueri, Izabel Cristina Ferraz, prendeu temporariamente, por 30 dias, um segurança da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) sob suspeita de ser o assassino da ex-namorada, uma enfermeira que trabalhava no Pronto Socorro no Parque dos Camargos, em Barueri.

O crime aconteceu na tarde de sexta-feira (26), na rua Casablanca, no Vale do Sol. A filha da enfermeira encontrou o corpo da mãe caído na cozinha e coberto com um pano.

Os pés e mãos da mulher estavam amarrados e um pano enrolado no pescoço. O rosto ficou desfigurado pela agressividade dos golpes na cabeça. O laudo da causa morte deve sair em um mês.

Como percebeu que pudesse ser sua mãe, porque um pedaço do vestido estava aparente e ela reconheceu a roupa, a garota de 17 anos chamou o pai, que mora em outra casa desde que ele se separou da enfermeira no ano passado.

A enfermeira estava em um outro relacionamento. Com o ex-esposo, ela tem dois filhos, uma menina de 17 anos e um garoto de 10.

A enfermeira tinha medo do segurança contra quem havia registrado queixa por violência doméstica, mas desistiu porque ele alegou que perderia o emprego na CPTM.

Após o feminicídio, o homem se escondeu em uma residência em Pirapora do Bom Jesus, onde reside uma senhora que ele tem como “mãe por consideração”. A idosa não sabia do assassinato. Desde sábado, o segurança não comparece ao trabalho e não foi visto em sua residência em Barueri.

Imagens de câmeras de monitoramento eletrônico levantadas pelo investigador chefe do 1° DP, Alexandre Graciano, com auxílio dos policiais civis Cristiano Simões Oikawa e Amanda Laura Ibiapino, permitiram colocar o rapaz no local do crime.

Vídeos mostram que o segurança chegou à casa da enfermeira por volta das 14h e saiu às 18h. Logo após, a.filha dela chega e encontra a mãe morta.

Com mandados de busca e apreensão, a polícia conseguiu chegar ao endereço onde ele estava em Pirapora. De acordo com a investigação, o segurança não aceitava o fim do relacionamento e planejou todo o crime.

Familiares e amigos da enfermeira cercaram a viatura da Polícia Civil para tentar agredir o segurança quando ele deixava a delegacia para fazer exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal). A delegada acredita que em trinta dias o inquérito seja concluído e ele indiciado já que as provas são robustas.