22 de junho de 2024 18:44

Incursão em favela resulta na apreensão de quase duas mil porções de drogas
"Operações nas divisas vão continuar", diz coronel Virgolino
Vôlei Osasco apresenta elenco da temporada 2024/2025
Em 4h, polícia e GCM vistoriam 196 pessoas, 71 motos e 25 carros na divisa de Osasco e Carapicuíba
Cotia prevê orçamento de R$ 1,7 bilhão para 2025
Em um mês região ganhará 1° "shopping aberto" semelhante aos da Europa e EUA

22 de junho de 2024 18:44

Incursão em favela resulta na apreensão de quase duas mil porções de drogas
"Operações nas divisas vão continuar", diz coronel Virgolino
Vôlei Osasco apresenta elenco da temporada 2024/2025
Em 4h, polícia e GCM vistoriam 196 pessoas, 71 motos e 25 carros na divisa de Osasco e Carapicuíba
Cotia prevê orçamento de R$ 1,7 bilhão para 2025
Em um mês região ganhará 1° "shopping aberto" semelhante aos da Europa e EUA
"Uso de máscara será obrigatório até todo Estado estar vacinado"

A previsão é de que até março de 2021, o Estado tenha mais 15 milhões de doses.(Divulgação)

Da redação     -
15 de setembro de 2020

O governador João Doria disse, nesta segunda-feira (14), durante coletiva de imprensa, que o uso de máscara será obrigatório até que 100% dos moradores do estado de São Paulo estejam vacinados contra a Covid-19.

A expectativa é de que, até dezembro, o Instituto Butantan tenha 46 milhões de doses da Coronavac, vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Butantan.

A previsão é de que até março de 2021, o Estado tenha mais 15 milhões de doses. Há ainda a possibilidade de aquisição de mais 100 milhões de doses no próximo ano, mas isso vai depender de suporte do Ministério da Saúde.

“A Coronavac, neste momento, é a mais desenvolvida do mundo. O Brasil provavelmente será um dos primeiros países a ter uma vacina disponível para vacinação em massa”, destacou o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas.

Doria também anunciou a arrecadação de R$ 97 milhões em doações da iniciativa privada para o novo projeto da fábrica do Instituto Butantan. Os recursos permitirão a realização das obras necessárias para a futura produção da vacina contra o coronavírus, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Butantan. O projeto executivo está em processo de contratação e as obras devem ser iniciadas em novembro.

“São Paulo fechou hoje mais uma etapa na arrecadação de fundos para a fábrica da vacina contra a Covid-19, a Coronavac. O Governo de SP conseguiu, até o presente momento, uma arrecadação de R$ 97 milhões em doações privadas, sem nenhuma contrapartida”, disse Doria.

A previsão é de que as obras da fábrica sejam iniciadas em novembro e concluídas em 2022. Os trâmites para contratação do projeto executivo já foram iniciados pelo Instituto Butantan. “Lembrando que fisicamente a fábrica já existe.

Ela será adaptada, modernizada e equipada. Da meta de R$ 160 milhões, já arrecadamos R$ 97 milhões, o que permite o início imediato da obra”, afirmou o governador.