20 de julho de 2024 00:14

Bandido assalta mesma farmácia pela segunda vez
Gari que se veste de "bailarina" vai disputar para vereador em Itapevi
Shopping Central Park abre as portas às 12h do dia 25
Tarcísio vai gastar R$ 7,2 milhões com policiais em apenas 100 escolas cívico-militares
PM prende funcionária de lava-rápido condenada por homicídio até 2040
Terremoto no Chile causa tremor em 5 prédios de Cajamar

20 de julho de 2024 00:14

Bandido assalta mesma farmácia pela segunda vez
Gari que se veste de "bailarina" vai disputar para vereador em Itapevi
Shopping Central Park abre as portas às 12h do dia 25
Tarcísio vai gastar R$ 7,2 milhões com policiais em apenas 100 escolas cívico-militares
PM prende funcionária de lava-rápido condenada por homicídio até 2040
Terremoto no Chile causa tremor em 5 prédios de Cajamar
Vereador Bispo Nunes pede escolas cívico-militares em Osasco

Foto: Ricardo Migliorini

Da redação     -
20 de junho de 2024

O vereador Bispo Nunes (PL) apresentou, na última sessão da Câmara Municipal, a Indicação número 0720/2024 solicitando à prefeitura a implantação de escolas cívico-miliares em Osasco.

Bispo Nunes é um defensor do projeto de autoria do governo do estado e aprovado, no dia 21 de maio, na Assembleia Legislativa de São Paulo. Segundo Bispo Nunes, a escola cívico-militar permite o “resgate da cidadania e do culto aos valores sociais por parte dos alunos e valoriza os profissionais de segurança pública e das Forças Armadas”.

O que é uma escola cívico-militar

De acordo com o projeto, aprovado na Assembleia Legislativa e sancionado pelo governador Tarcísio de Freitas, a criação do Programa Escola Cívico-Militar tem como objetivos a melhoria da qualidade do ensino com aferição pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o enfrentamento à violência e a promoção da cultura de paz no ambiente escolar.

Tarcísio explicou que “o projeto de escola cívico-militar não impõe. A gente vai sugerir algumas escolas, a comunidade vai votar e, de acordo com a votação de pais de alunos e professores, a gente transforma a escola em cívico-militar com policiais militares da reserva que vão atuar na disciplina e no civismo, mas não na parte pedagógica”, acrescentou o governador.

O projeto será direcionado a escolas com índices de rendimento inferiores à média estadual, atrelados a taxas de vulnerabilidade social e fluxo escolar – aprovação, reprovação e abandono.

As escolas cívico-militares poderão ser implantadas em prédios escolares já existentes ou a serem construídos. Além das escolas estaduais, unidades municipais de ensino também poderão aderir à iniciativa do Governo do Estado.

A proposta é complementar as ações pedagógicas da Secretaria da Educação e compartilhar com os estudantes valores como civismo, dedicação, excelência, honestidade e respeito.

Parte pedagógica segue com a Secretaria da Educação

A Secretaria da Educação continuará responsável pelo currículo das escolas cívico-militares, formação de professores e adequação dos prédios.

Já a Secretaria da Segurança Pública vai indicar policiais militares da reserva que atuarão como monitores nas unidades de ensino, desenvolvimento de atividades extracurriculares na modalidade cívico-militar, organização e segurança escolar.

O processo seletivo dos policiais militares da reserva – ao menos um por escola – que atuarão como monitores será feito pela Secretaria da Educação.