Osasco e região voltam para a fase Amarela do Plano SP

 Osasco e região voltam para a fase Amarela do Plano SP

(Divulgação)

Na fase Verde do Plano São Paulo de retomada da economia desde o último dia 6 de outubro, as cidades de Osasco, Barueri, Itapevi, Jandira, Carapicuíba, Cotia, Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus foram reclassificadas e regrediram para a fase Amarela.

O anúncio foi feito pelo governador do estado João Doria durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira, 30, no Palácio dos Bandeirantes. Para reduzir o contágio e evitar pressão sobre o sistema de saúde, todas as regiões do estado retornaram à fase amarela até o dia 4 de janeiro.

Dessa forma atividades como bares, restaurantes, academias, salões de beleza, shoppings, escritórios, concessionárias e comércios de rua voltam a ter limitações de horário e capacidade de público. O atendimento presencial em todos os setores fica restrito a dez horas diárias, sequenciais ou fracionadas, e 40% de capacidade – na fase Verde eram 12 horas por dia e 60% da capacidade. Os estabelecimentos terão que fechar o atendimento local até as 22h. Todos os eventos com público em pé estão proibidos na fase amarela.

Além disso, eventos, convenções e atividades culturais ficam autorizados pelo estado de São Paulo desde que com capacidade de 40% e mantendo as regras de distanciamento social, porém as prefeituras têm autonomia para restringir essas atividades por Decreto.

Essa foi a última reclassificação ordinária do ano. A próxima está agendada para acontecer no dia 4 de janeiro de 2021. Caso haja piora nos índices até lá o governo pode fazer reclassificações extraordinária e regredir as regiões novamente para fase Laranja ou Vermelha, sendo essa a mais restritiva.

Agora a medição de médias móveis de casos, mortes e taxas de internação de pacientes com Covid-19 passa a ser considerada em intervalos de sete dias, e não mais a cada quatro semanas.

Desde o dia 6 de outubro, a Grande São Paulo e as regiões da Baixada Santista, Campinas, Piracicaba, Sorocaba e Taubaté estavam na fase verde. No dia 16 de novembro, o estado decidiu adiar nova reclassificação devido a instabilidades de dados do Ministério da Saúde.

Se tivesse sido mantido, o cronograma anterior deixaria 89% da população do estado na fase verde, com o progresso de outras seis regiões. Com a verificação dos dados atualizados de avanço de casos e internações por Covid-19, o Governo de São Paulo optou pela ampliação de medidas de distanciamento social.

Da Redação