Prefeito de Cotia veta nomes de vereadores em placas de obras públicas

 Prefeito de Cotia veta nomes de vereadores em placas de obras públicas

Divulgação

Em Cotia o prefeito Rogério Franco vetou o Projeto de Lei 13/2022 que pedia a inserção dos nomes dos vereadores em placas de inauguração de obras públicas na cidade. O PL foi apresentado pelo vereador Iran Soares.

 

No veto, o prefeito justificou que a proposta era inconstitucional por configurar violação ao princípio da impessoalidade.

 

“A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos”, explicou Franco citando trecho de artigo da Constituição Federal.

 

Ainda para justificar o veto, o prefeito de Cotia apontou o artigo 99 da Lei Orgânica do município, que é parecido com o da Constituição Federal citado acima.

 

“A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas da administração pública direta ou indireta, fundações e órgãos controlados pelo poder público, ainda que custeadas por entidades privadas, deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social e será realizada de forma a não abusar da confiança do cidadão, não explorar sua falta de experiência ou de conhecimento e não se beneficiar de sua credibilidade.”

 

O projeto de lei de Iran Soares foi aprovado por todos os vereadores na sessão do dia 19 de abril. Em sua justificativa, Soares dizia que “em toda sua história, nunca os nomes de vereadores da Câmara de Cotia foram inseridos em placas de inauguração de obras públicas”.

 

“É importante lembrar que são os vereadores que autorizam a aplicação do destino de verbas de todos os projetos que passarão por esta casa de leis, portanto, sendo justo que os nomes dos vereadores sejam inseridos e sejam reconhecidos, visto que os vereadores discutem, debatem, votam e fiscalizam em busca de uma maior valorização dos parlamentares”, argumentou. (fonte: cotiaecia.com.br)

Da Redação