Preso “irmão da morte” que assassinou escrivã com facadas nas costas

Em entrevista ao Diário da Região, o delegado titular do 1° DP de Carapicuíba, Marcelo José do Prado, confirmou a prisão de mais um integrante do crime organizado responsável pelo cemitério clandestino do PCC em Carapicuíba, na divisa de Osasco e Cotia.

Renan, conhecido como “irmão da morte” foi detido nesta quarta-feira, 16, e confessou o assassinato da escrivã de polícia que morava em Jandira e desapareceu no dia 13 de janeiro.

Ela foi arrebatada na favela do 21 onde Renan comanda o tráfico de drogas. Durante o depoimento, ele explicou que a matou com facadas nas costas.

Há quinze dias foi preso Rincón, que integra com Renan, o grupo de criminosos responsáveis pelo “tribunal do crime” e pelo cemitério clandestino, local onde matam e enterram pessoas em “dívida” com o PCC.

Até o momento, foram encontrados 5 corpos. Só o da escrivã foi identificado. Os outros 4 estão no IML (Instituto Médico Legal) para reconhecimento.

Maranhão Gomes