Projeto pede farmácia 24 horas em Osasco

 Projeto pede farmácia 24 horas em Osasco

Foto: Robson Cotait

A vereadora Lúcia da Saúde apresentou na Câmara Municipal o projeto de lei Nº 72/2021 que propõe a criação da Farmácia 24h que deverá ser implantada dentro do Hospital Municipal com funcionamento sete dias da semana e de forma ininterrupta.

A iniciativa é criar uma farmácia ligada ao pronto-socorro, para resolver o mais grave problema que a saúde tem que é a distância entre o diagnóstico (feito pelo médico ou pelo laboratório) e o tratamento que quanto mais curto, melhor resultado apresenta. 

“A proposta visa ajudar a população a ter acesso aos medicamentos após o atendimento na rede pública. Os médicos dos prontos-socorros deverão estar orientados a preferencialmente receitarem medicamentos da própria farmácia nas suas prescrições”, ressaltou a vereadora Lúcia da Saúde.

O PL ainda determina que a Secretaria da Saúde deverá manter na Farmácia 24h no mínimo 80 medicamentos emergenciais. Outra exigência é que os munícipes atendidos nos PS e UPA da cidade poderão retirar os medicamentos nas Farmácias 24h desde que possuam o receituário apropriado da Unidade devidamente carimbado e assinado pelo médico da Unidade.

“Esclarecemos ainda que esta ideia foi implantada no Município de Jaguariúna e é um sucesso, já que se trata de um grande avanço no atendimento à saúde da população, e também já é uma discussão em outros Municípios”, completou a autora da posposta que ainda citou Barueri como exemplo. 

“Em Barueri a sua farmácia central funciona 24 horas por dia, sete dias da semana atendendo sua população por entender a relevância do assunto. Vale ressaltar, que em um cenário pandêmico no qual estamos vivendo, a solicitação se faz ainda mais necessária devido a inúmeros casos de munícipes sintomáticos da Covid-19, que após passarem por consulta médica necessitam do tratamento inicial, mas não conseguem adquirir imediatamente os medicamentos prescritos pelo profissional da Unidade de Pronto Atendimento ou PS por ser em um final de semana ou à noite”, finalizou Lúcia da Saúde.

Da Redação