• 02/12/2021

Renata diz que Igor e Lins são nomes fortes para governador

Em entrevista ao Diário da Região, Renata Abreu, deputada federal e presidente nacional do Podemos, disse que a sigla tem dois nomes fortes para candidatura ao governo de São Paulo em 2022. 

Para ela Igor Soares, prefeito reeleito em Itapevi com 98% dos votos válidos, tem toda chance diante das urnas por ter feito um primeiro mandato impecável. “Com certeza o Igor é um nome de peso. Prefeito reeleito com a maior votação do Brasil e todos, que são da região, sabem que ele transformou a cidade de Itapevi. Ele é um jovem com uma visão política gigantesca, com ideal maravilhoso, e é sem dúvida um quadro do Podemos que pode alcançar voos mais altos como o de disputar para governador, sem dúvida alguma”.

Renata Abreu disse que se lançar nas eleições de 2022 é uma decisão de Igor Soares. “Ele teria que largar a prefeitura”, argumentou indicando que talvez esse seja um obstáculo. “Assim como o prefeito Rogério Lins, de Osasco, que também teria que deixar o cargo caso optasse pela candidatura. Mas, sem dúvida, esses dois prefeitos são nomes fortes do Podemos para voos maiores. Lins foi reeleito no primeiro turno”, completou. 

Lins tem outro fator a seu favor para estar nesta lista. Ele governa a segunda maior economia do estado de São Paulo que também é o 8º maior PIB do país. Mas Renata ainda acrescentou mais um nome do Podemos que tende a crescer muito, o de Guto Issa, prefeito de São Roque que, recentemente, anunciou a construção na cidade da Villa XP, um local de negócios e investimentos semelhante à Apple Park, no Vale do Silicio, nos EUA, que irá atrair investidores do mundo inteiro para São Roque, conhecida como “a cidade do vinho”.

Mas, a presidente nacional do Podemos também não descarta apoio a algum candidato de outro partido. “Essa é uma decisão que cabe ao nosso grupo político do estado, da qual Igor faz parte e é presidente da Executiva. Hoje nós temos um projeto nacional, então, a nossa decisão no estado de São Paulo vai ser priorizar o palanque nacional, quer seja apoiando um candidato a governador que nos desse palanque, ou pensando uma candidatura própria, caso não tenha nenhum dando esse palanque”, concluiu.