• 17/04/2021

Roberta não sabe se vai ou se fica

 Roberta não sabe se vai ou se fica

foto Caio Henrique

Após a dura eliminação para o Praia Clube na semifinal da Superliga 2020/2021 e uma forte pressão da torcida, nas redes sociais, pela saída do técnico Luizomar de Moura, o Osasco São Cristóvão Saúde prepara mudanças radicais para o elenco da próxima temporada.

Segundo informações do blog do jornalista Bruno Voloch, o Blog do Voloch, as centrais Bia e Camila Paracatu; as ponteiras Sonaly, Ana Medina e Gabi Cândido; a oposta Karine e a levantadora Naiane devem deixar o clube. Bia inclusive está praticamente acertada com um time italiano.

O clube pretendia montar o próximo elenco em cima de uma espinha dorsal formada pela líbero Camila Brait, pela oposta Tandara e pela levantador Roberta. A situação da ponteira Jaqueline será reavaliada, ela tem uma forte identificação com o clube e com a cidade, mas os constantes problemas físicos podem pesar nesta decisão.

Camila Brait, com mais de uma década de Vôlei Osasco, é considerada um patrimônio da cidade e deve continuar. Roberta, segundo apuração do blog, desejaria renovar, mas está praticamente acertada com Radomka Radom, da Polônia. Outro caso complicado é o de Tandara, sempre assediada por outras equipes e considerada um nome forte no mercado.

Jovens como a ponteira Tainara e a central Mayani, que decepcionaram e jogaram abaixo do esperado nas semifinais contra o Praia Clube, e que tinham a permanência dada como certa serão reavaliadas e não estão garantidas para a temporada 2021/2022.

Lembrando ao leitor que ao contrário do futebol, onde os contratos são longos, no vôlei os contratos são feitos temporada por temporada. Então, em tese, todos os vínculos das jogadoras com o Osasco São Cristóvão Saúde se encerram no fim da temporada. E partir de então cada jogadora é discutida caso a caso.