Sergio Moro desiste de candidatura a presidente

 Sergio Moro desiste de candidatura a presidente

Foto: Sérgio Lima

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, anunciou na tarde desta quinta-feira, 31, a decisão de deixar o Podemos, se filiar ao partido União Brasil e desistir da pré-candidatura a presidente da República.

O anúncio foi feito em um hotel na Zona Sul da capital paulista, onde Moro assinou a ficha de filiação à sigla.

Ex-ministro do governo Bolsonaro, Moro havia se filiado ao Podemos em novembro do ano passado, pouco mais de um ano após deixar o governo federal, em abril de 2020.

Segundo o deputado e vice-presidente do União Brasil, Junior Bozzella, Moro se colocou à disposição do partido, que vai definir o “melhor lugar pertinente onde ele possa se encaixar”.

“Ele estava habilitado a concorrer a diversos cargos, trouxe o domicílio eleitoral pra São Paulo. Ele vem pra somar, tem 10% nas pesquisas”, disse Bozzella.

Na última pesquisa Datafolha, divulgada na quinta-feira, 24, Sergio Moro registrou 8% das intenções de voto para a eleição presidencial de 2022 em todos os cenários simulados.

Moro ganhou notoriedade nacional como juiz da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba durante a Operação Lava Jato. Ele deixou a magistratura para aceitar o convite de Jair Bolsonaro (PL) para o Ministério da Justiça, mas abandonou o cargo de ministro após acusar Bolsonaro de tentar interferir na Polícia Federal.

O União Brasil, partido resultante da fusão entre DEM e PSL, teria determinado, como condição à filiação de Moro, a desistência da corrida presidencial.

A mudança de partido ocorreu apenas um dia depois de a esposa de Sergio Moro, Rosângela Moro, se filiar ao Podemos em São Paulo. Natural do Paraná, Rosângela transferiu seu domicílio eleitoral e anunciou a filiação nesta quarta, 30.

Arthur do Val

Além de Sergio Moro, outro político que se filiou recentemente ao União Brasil foi o deputado estadual Arthur do Val. Ele se filiou na última terça-feira, 29. O deputado havia sido desligado da antiga legenda, o Podemos, em março, após os vazamentos de áudios sobre refugiadas ucranianas, durante uma viagem de integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) ao país em conflito.

Em nota oficial à imprensa, Moro diz que o “Brasil precisa de uma alternativa que livre o país dos extremos, da instabilidade e da radicalização. Por isso, aceitei o convite do presidente nacional da União Brasil, Luciano Bivar. Para ingressar no novo partido, abro mão, nesse momento, da pré-candidatura presidencial e serei um soldado da democracia para recuperar o sonho de um Brasil melhor”, afirma em nota.

Graciela Zabotto