Três santos destruídos em igreja de Osasco já estão restaurados

 Três santos destruídos em igreja de Osasco já estão restaurados

Divulgação

O Museu de Arte Sacra de São Paulo devolveu, restauradas, três das seis imagens de santos que foram vandalizadas em na Igreja Nossa Senhora dos Remédios, em Osasco, em maio deste ano.

Dois homens e duas mulheres invadiram a igreja católica e destruíram sete imagens, as jogando no chão. A imagem de Santa Cecília, que era de gesso, não teve sequer condições de restauro. O grupo fugiu de ônibus e dias depois foi identificado pela Polícia Civil.

Entre as imagens danificadas, está a de Santo Ubaldo, que tinha sido trazida da Itália há 60 anos. Na restauração da obra de madeira, os técnicos descobriram que ele estava tomado de cupim em seu interior.

A imagem da Padroeira Nossa Senhora dos Remédios, a principal da igreja, foi a primeira a ser devolvida. A obra é de 1951 e precisou de reparos principalmente na região da cabeça. A restauração das outras três imagens tem previsão de conclusão em maio de 2022. (fonte: g1.com.br)

Menina de 12 anos comandou depredação de 7 santos
Em julho, durante entrevista exclusiva ao Diário da Região, o delegado Marcelo Santos deu detalhes do inquérito policial sobre a destruição de sete imagens de santos na Igreja dos Remédios, na divisa de Osasco com São Paulo, ocorrida no dia 13 de maio.

Segundo ele, quatro irmãos são os principais suspeitos da depredação. A mais nova deles, de 12 anos, foi quem comandou o vandalismo. Os outros três, dois deles maiores de idade, apenas seguiram o que ele ordenava.

A escolha da igreja foi aleatória. Eles estavam em um ônibus e quando passaram em frente a igreja, decidiram descer. Na escadaria, depois de alguns minutos de conversa, a caçula disse que “Jesus estava mandando destruir as imagens”.

A partir daí, eles entraram na igreja e começaram a traçar estratégias para derrubar os santos que tem quase dois metros de altura. Os dois irmãos mais velhos subiram, possivelmente em uma cadeira, e empurraram as imagens. Na sequência, saíram correndo pela porta lateral.

Da Redação