• 18/10/2021

“Vacinas são experimentais e passaporte para cultos perseguição religiosa”, diz vereador de Osasco

 “Vacinas são experimentais e passaporte para cultos perseguição religiosa”, diz vereador de Osasco

Foto: Caio Henrique

O vereador de Osasco Joel Nunes (Republicanos) protocolou moção de repúdio nº 416/2021 contra o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), por exigir o chamado ‘passaporte da vacina’ para que fiéis possam participar de celebrações religiosas.

Em decreto n° 51.460, de 27 de setembro de 2021, o governo estadual torna obrigatória a apresentação de comprovantes de esquema vacinal completo e/ou resultados negativos de testes para Covid-19.

“Independentemente da capacidade de lotação do templo, desde o início da pandemia as instituições religiosas passaram a atender as exigências sanitárias para realização dos cultos, por isso exigir dos fiéis comprovantes de vacinação completo ou testes negativos para o vírus, não pode ser entendido de outra forma senão perseguição religiosa para tentar impedir a realização dos cultos”, justificou na moção.

Joel Nunes, que também é pastor da Igreja Universal, citou que as vacinas contra a Covid-19 ainda não têm eficácia comprovada. “É de conhecimento público que as vacinas são experimentais, assim como não há vacina suficiente para toda população e o poder público não garante testes gratuitos para todos, tampouco transporte público suficiente para o cumprimento das regras sanitárias de distanciamento. Assim, tal exigência não passa de perseguição às instituições religiosas, que exercem atividade essencial à população”.

Para ele os problemas sociais causados pela pandemia seriam imensuráveis sem o trabalho espiritual e social realizado pelas igrejas durante esse período. Além disso, afirmou que o decreto do governo de Pernambuco é inconstitucional. “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias”.