Vereador diz que Paola Carosella deve voltar para a Argentina

 Vereador diz que Paola Carosella deve voltar para a Argentina

Reprodução/DiaCast/Câmara Municipal de Carapicuíba

Durante sessão ordinária da Câmara Municipal de Carapicuíba na terça-feira, 24, o vereador Nil do Ariston criticou a chef argentina Paola Carosella após críticas a eleitores bolsonaristas.

“Quero fazer um repúdio aqui para uma argentina, uma tal de Paola Carosella, olha o nome dessa mulher. Argentina que veio para o nosso país aqui, montou os seus negócios, está bem sucedida e falou que não se identifica como eleitora do Bolsonaro. São mais de 50 mil eleitores bolsonaristas. Ela desrespeitou o Brasil, nós brasileiros. Por que que ela não vai para o país dela? A argentina vive sua pior crise de toda a história. A inflação está 60%. Quem é ela para dar opinião? Volta pra lá. Muda os seus negócios pra lá. Chamar de burro quem votou no Bolsonaro. Quem é ela?”, desabafou na tribuna.

A chef argentina chamou de “escroto” e “burro” as pessoas que ainda apoiam o governo Bolsonaro em 2022. A declaração foi feita durante um episódio do podcast DiaCast, ao ser perguntada sobre como ela lida com bolsonaristas.

“Não lido mais. Na família do meu sócio, tinham alguns, mas já mudaram. (…) Fica muito difícil se relacionar com alguém que [ainda apoia o Governo Bolsonaro]. Por dois motivos: ou porque é um escroto ou porque é burro”, afirmou a chef. Carosella concluiu sua fala dizendo que o presidente da República, Jair Bolsonaro, “não faz a mínima ideia do que está fazendo” e está lutando contra um “comunismo que não existe”.

Após as declarações os restaurantes da chef argentina sofreram ameaças de boicote e xingamentos. Na internet, por exemplo, o Arturito, restaurante de Paola em Pinheiros, teve a nota no Google despencada das cinco estrelas para nota de 1,7.

Graciela Zabotto