• 27/10/2020

Menino que comeu marmita envenenada deve ter alta nesta quinta

 Menino que comeu marmita envenenada deve ter alta nesta quinta

Dois sem-teto comeram as marmitas e morreram em Itapevi (Foto: Reprodução/TV Globo)

Já se passaram dois meses desde que Flávio Araújo começou uma longa história com seu filho de 11 anos, que foi internado após comer uma marmita envenenada em Itapevi, no dia 21 de julho. Flávio afirma que o filho pode receber alta a qualquer momento do Hospital Geral Pirajussara, em Taboão da Serra.

Ele recebeu o Diário da Região em sua residência em Itapevi e disse que seu filho precisa ser transferido para outro hospital com melhores condições de internação. Segundo ele, o garoto não apresenta melhora do quadro clínico e precisa de um neurologista, o que não estaria sendo oferecido pelo hospital.

O pai diz que a transferência é negada porque o Hospital Geral Pirajussara afirma ter condições de atender ao seu filho.

Flávio recebeu as marmitas de um amigo, que tinham sido distribuídas por uma pessoa desconhecida em um posto de gasolina desativado, localizado no Jardim Rosimeire, em Itapevi.

O caso das marmitas envenenadas ocorreu no dia 21 de julho em Itapevi e é investigado pela Polícia Civil. Na ocasião, dois sem-teto que comeram o alimento morreram intoxicados. A namorada de Flávio e o filho dele foram parar no hospital.