Wesley Safadão e mulher são denunciados por corrupção; entenda

 Wesley Safadão e mulher são denunciados por corrupção; entenda

Reprodução/Instagram

O MPCE (Ministério Público do Ceará) denunciou Wesley Safadão, a mulher dele, Thyane Dantas, a produtora Sabrina Tavares Brandão e uma servidora da Secretaria de Saúde de Fortaleza (SMS). O principal motivo da denúncia são os crimes de peculato e corrupção passiva privilegiada durante a campanha de vacinação da Covid-19.

Na manhã desta sexta-feira, 4 de janeiro, dois dias após o TJ-CE (Tribunal de Justiça do Ceará) resolver liberar as investigações em curso pelo MP, a denúncia foi protocolada no Poder Judiciário.

Para quem não se recorda, as investigações foram interrompidas após um habeas corpus pedido pelo cantor em novembro de 2021 obrigar a paralisação.

As informações divulgadas pelo MP indicam que o esquema teve participação de servidores efetivos e terceirizados da Secretária de Saúde de Fortaleza, contando também com assessores e amigos de Safadão.

RELEMBRE O CASO
A investigação teve inicio em julho, após Ministério Público do Ceará (MPCE) confirmar que iria apurar se o artista trocou propositalmente o local da vacinação com o intuito de receber o imunizante da Janssen, que é dose única.

Quanto a digital influencer, Thyane teria furado fila da vacinação, pois não se encaixava no público agendado na capital.

“Devemos sim seguir os ritos e normas pertinentes a todo procedimento investigatório. Isso tudo vai depender do desenrolar das apurações. O MPCE informa que os fatos ainda serão apurados, com responsabilidade e dentro das regras do ordenamento jurídico brasileiro. Ao final, o MPCE decidirá se há elementos concretos para dar continuidade à investigação”, complementou o órgão, finalizou.

Em declaração ao jornal Diário do Nordeste, o promotor Eneas Romero, disse que a situação será plenamente investigada. “Como agora temos esse critério cronológico, que é a idade, fica mais fácil apontar essas questões, se foi realmente ‘xepa’, se foi fura fila. É um dever do Ministério Público investigar tudo isso”, disse ele.

“Thyane foi acompanhar o Wesley na vacinação e existe uma coisa que todos têm acesso, não foi benefício dela, que é a dose de sangria. Cada dose dá em média um número aplicações, depende de qual for, e se não forem aplicadas na hora são descartadas”.

“Por esse motivo, os profissionais estão autorizados a aplicar em quem estiver no local, mesmo que não esteja no dia certo para vacinação, para que não haja descarte do material”, disseram em nota. (ofuxico.com.br)

Da Redação